19 de fev de 2013

Silêncio nas lembranças





Silêncio nas lembranças


Os sons do silêncio ecoam em meus ouvidos
Em tempos, vivíamos sorrindo
Irradiando alegria
Hoje só os ecos das gargalhadas
Ficaram nas paredes da memória
Massacrando lembranças
Que prefiro esquecer
Lá fora ouço o canto de um pássaro
Me chamando de volta a vida
O corpo pesado rejeita o convite
Novos ares sopram na janela
Mas o calor do corpo amado por ti
Não esfria
As labaredas dessa paixão
Ainda queimam
Melhor que queime inteira
E as cinzas se congelem
Com o longo inverno que está por vir
E que tudo não tenha passado
De um sonho
E que ao acordar
Se apague definitivamente da memória
http://www.sandraamorim.recantodasletras.com.br/visualizar.php?idt=4148086


4 comentários:

Marco Rocca disse...

Belíssimo poema amiga. Gostei muito que também tenha visitado o blogger Poemas tecidos. Obrigado e um abraço fraterno, Marco Rocca.

Marco Rocca disse...

Lindo poema amiga! Obrigado por ter visitado o blogger "Poemas tecidos". Abraço fraterno, Marco Rocca.

Denis Correia disse...

Olá.

Belíssimo texto, Sandra.
Gostei muito de le-lo.
Meus parabéns e uma boa tarde.

;D

Márcio Buriti Textos disse...

Tão bonito, que não dá pra não repetir que "lá fora o canto de um pássaro chama à vida, e que as labaredas da paixão ainda queimam". Muito bonita Poesia, Sandra. Até diria que ela é escrita ao tempo do verbo mais-que-bonito. Parabéns!