3 de jan de 2013

Esperança



A cada manhã um novo dia
A cada dia uma esperança
Em cada esperança
Sonhos sonhados
Ilusão de quem vive

E a vida passa
E os sonhos não saem do imaginário
Outros nascem
Outros morrem
De concreto o que existe
São eles, os sonhos

Desejos que ardem
Queimam a pele
Pedindo o refresco
Do teu hálito
Desenhado nas palavras
Proferidas por tuas mãos
Lançadas no papel
Que voam, voam
E nunca chegam a mim

2 comentários:

Jaqueline Cristina disse...

Nunca chegam e continuo a desejar...
Lindo, Sandra!
Bjoks

Denis Correia disse...

Olá.

Nossa... que belo texto, heim Sandra???
Gostei dele... gostei muito!!!
Meus parabéns e um bom dia.

;D