19 de jul de 2012

Perdido em mim


E nos sonhos e desejos
Nos perdemos loucamente
Entregamos nossos corpos sem pudor
Sufoquei-me agarrada a ti
buscando o ar em tua boca
que gentilmente correspondeu
Dias, tardes, noites, me perdi nos devaneios de teus ais
Ficaste perdido na tua visão
quando calmamente me despia para ti
Na sutileza de tuas mãos busquei o calor
Para aquecer minha nudez
Sedento de mim passeaste em minhas curvas
analisando milimetricamente o campo a ser explorado
Marcando suas digitais em minha pele
Para jamais se perder de mim


2 comentários:

Joana Rocha disse...

Você escreve muito bem. Amei! Parabéns.

Sandra Amorim disse...

Obrigada Joana!